terça-feira, fevereiro 27, 2007

Em 3 Versos todo um sentimento - orkut


Insônia
De olhos grelados,
espera-me
noite ardilosa.



Belo Passeio
feliz andarilho
por teus contornos
eu sou...



(Poetrix de Edward, postados na comunidade do orkut Em 3 Versos todo um sentimento)

Sem rimas, métricas, sem títulos!


Quero um verso livre
e andar de braços dados
com a poesia...

domingo, fevereiro 25, 2007

A palavra que não chega







No papel, o rascunho
um poema a digerir minhas entranhas
emoção ainda engasgada.



(da amiga Sarah Amin, poetrix de abertura da comunidade do orkut: "Em 3 Versos, todo um Sentimento")

Marasmo de domingo
















relógio lento
- horas dominicais -
preguiça que beira o tédio.

(Edward, o amigo visitante)

Sobre a fotografia que eu não tirei




Atravessa-me
com teu olhar
instante congelado.

sábado, fevereiro 24, 2007

Meus lábios em teu ventre


da boca ao sexo
quero teus céus
e no ato, ver estrelas!

Infinito nos teus olhos


Ocaso marinho
de pedras aos pés.

Marina, onde estás, Marina?

(Edward, o amigo visitante)

(...)

Amor de sentidos I

tateio escuros
e no céu da tua boca
rompo muros atrás de estrelas...










Amor de sentidos II

tateio escuros
e no céu da tua boca
rompo muros sem estrelas...

Entre mulheres


signos de amor bilíngüe
um eclipse que rompe o muro
do céu da tua boca.

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

A tristeza e um fim de tarde










Do corpo inerte

a alma é silêncio

desbotando-me.


- cálidos sentidos -


A noite sussurra

sua chegada.


Vento gélido,

a pele é ouriço.


E entre telhados, um arco-íris pálido...

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Simples declaração de amor


Pra falar do nosso amor,

virei carnavalesca.


De um lenço, fiz um estandarte

e escrevi: eu te amo.

Teu corpo nu







Inteiro,


de seios fartos,

de sexo úmido.


Teu corpo belo.


Corpo jocoso,

desnudo.


Eu quero.

O amor não é raso


De olhos fechados,
tua alma tateio.

Encontro-a bela,

meu coração em festa!

(...)

Quero-te com tua nudez
branca

entre meus lábios.


Nosso amor


ávidas

frenéticas

incansáveis

no céu da tua boca, nosso amor bilíngüe.

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Depois da folia


Dói em mim a tua dor

Simulo tarefas importantes nessa difícil manhã.

Mas a quarta é de cinzas e choros...

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Natureza em tela (retrato de um colibri)





desfolha a vida

tinta em flor

roda e brinca, meu beija-flor!


(e Sarah Amin visita a amiga com esse poetrix)


Brincadeira em tarde quieta










Um beijo
- teu chamado -

acato
o teu pedido

e entre dedos,
deleite...

terça-feira, fevereiro 06, 2007

Alegria Intermitente

Fim de tarde

Minha carne com teu cheiro.


Matizes encantadas

e um arco-íris que aquece a alma.


- Contornos do amor -


Noite ausente

Lágrimas pelo silêncio.


Fardo comum das amantes.



(poesia publicada no Ensaio Poético virtual "Ilusão", site www.avbl.com.br)

O amor é colorido





Depois de um céu anil
teus lençóis: uma bela tela

eu, tua melhor aquarela!

Bons sonhos







Breve sereno,

brisa leve


- mansidão -


noite escura,

aconchego...


sábado, fevereiro 03, 2007

DUETO

Dança dos dedos*

Estremeço
entre a dança dos dedos
Se cantas o sorriso
é que algemas o coração
Faz-me beijar os dias
e assim querer o mundo
Se os desejos me assaltam
vou nos caminhos desse sonho
Sigo contornos
Torno-me única.
* A dança dela
Moça, posso brincar com tua dança?
(em resposta à poesia Dança dos dedos)

Torno-me única
entre os dedos dessa dança.
Vou nos caminhos desse sonho
se os desejos me assaltam.

Sigo contornos
Estremeço.
E se cantas o sorriso,
faz-me beijar os dias.

... querer o mundo
algema o coração.

(Poesia publicada na Antologia de poemas, "Poetas do Café", 2006)


quinta-feira, fevereiro 01, 2007

NA PONTA DA LÍNGUA


Sede do teu cheiro que me molha.
Sede com sabor de saudade...

Lembranças de tua língua
a saciar teu desejo
em minhas entranhas úmidas.

Língua a provocar minha libido
e despertar meu prazer...

Devora-me
com tua língua!
Língua, devora-me!

Há também lábios.

Os teus lábios que acompanham essa língua
tão ligeira,
faceira,
libertina!

Lábios prontos,
ávidos por me sugar.

Há outras sedes.

Sei também da tua sede
por te molhares com meu cheiro...
Sei do caso da minha pele com teus sentidos...

Então, será minha língua
em tuas entranhas,
invertendo os papéis na cama.

E na ponta da língua
faz-se o meu gozo.


(Poesia publicada na Antologia de poemas, "Poetas do Café", 2006)