quinta-feira, fevereiro 01, 2007

NA PONTA DA LÍNGUA


Sede do teu cheiro que me molha.
Sede com sabor de saudade...

Lembranças de tua língua
a saciar teu desejo
em minhas entranhas úmidas.

Língua a provocar minha libido
e despertar meu prazer...

Devora-me
com tua língua!
Língua, devora-me!

Há também lábios.

Os teus lábios que acompanham essa língua
tão ligeira,
faceira,
libertina!

Lábios prontos,
ávidos por me sugar.

Há outras sedes.

Sei também da tua sede
por te molhares com meu cheiro...
Sei do caso da minha pele com teus sentidos...

Então, será minha língua
em tuas entranhas,
invertendo os papéis na cama.

E na ponta da língua
faz-se o meu gozo.


(Poesia publicada na Antologia de poemas, "Poetas do Café", 2006)

7 comentários:

Renata disse...

Oi, conheci hoje seu blog. Fiquei encantada. Você já publicou algum livro?
Abraços

Hannah Abraão em frases de momento disse...

Que bom que gostou do blog, Renata, espero que volte outras vezes. Até agora não tenho um livro meu, apenas participações em algumas antologias (essa poesia que vc comentou é uma que está em um livro).
Volte sempre!

Letícia Moriel disse...

Olá Klycia, td bem?? Aproveitei a oportunidade e cá estou. Gostei bastante do espaço, das poesias, das ilustrações, todos belos! Mas este, em especial, chamou minha atenção pelo fato de mostrar a sexualidade de uma forma bem poética...mto legal..parabéns!
bjos

Amanda disse...

Todos os sentidos em forma de poesia. Muito literário o jeito de falar do prazer. Os versos criam imagens. Parabéns!

Hannah Abraão em frases de momento disse...

Letícia, querida, obrigada por sua visita! Venho tentando casar a imagem q surge das poesias com uma imagem tirada de fotografias... acho que tive êxito algumas vezes. Volte sempre!
Quanto à poesia, é uma batalha que travo sempre: trabalhar o erotismo de forma poética...

Hannah Abraão em frases de momento disse...

Como disse, Amanda, uma batalha em transformar o erotismo em poesia...

Anônimo disse...

Impetuosa e sensual. Não há o que comentar.