terça-feira, janeiro 02, 2007

A Poda


Chora videira

pela mão que te dilacera.

Chora, videira

que o vento te consola.

Sabes bem tua sina, então, chora.

Videira, chora.


É preciso lágrima para o vinho.


(Edward, o amigo visitante)

2 comentários:

Sandra disse...

Lindíssimas as poesias querida!
Pena que não enviou, deveria te-lo feito ;)
_E existem momentos em que
o vinho esconde as lágrimas...
Beijo com carinho.

Hannah Abraão em frases de momento disse...

A idéia de escrever com um tema pre estabelecido ainda é uma prática que não domino bem. Mas, sairam as poesias sobre o vinho... Não foram ao concurso, mas ficaram aqui.

Essa última poesia - que termina com "é preciso lágrima para o vinho" - surgiu de uma conversa nossa San, quando você me dizia que chama de lágrima o líqüido que sai da videira. Lembra? Daí fiz uma espécie de trocadilho...