quarta-feira, janeiro 10, 2007

Certa de sua chegada


chuva fina
- lágrimas na janela -

tímido sorriso em meus lábios.

4 comentários:

Luci disse...

Sentindo absurda e serenamente o que olha, a expectadora, com alma de poeta, parece assistir ao próprio sentimento.

Esse pequeno poema fez -me pensar na natureza e no sentimento de Alberto Caeiro. Quero a terra, os rochedos e ervas, e dias de chuva e sol e nascer ou morrer sendo sentimento. Beijos

"O que é preciso é ser-se natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade,
Sentir como quem olha,
Pensar como quem anda,
E quando se vai morrer, lembrar-se de que o dia morre,
E que o poente é belo, e é bela a noite que fica...
Assim é e assim seja..."
Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)

Hannah Abraão em frases de momento disse...

sua mansidão com que passa por suas palavras até chegar a Pessoa deixou-me muda. Obrigada pelo lindo comentário, mais belo do que a poesia que lhe deu origem.

Renata disse...

Está perfeita a combinação poema e foto. Muito bonito. Parabéns.

Hannah Abraão em frases de momento disse...

Odeio esperar, mas nesse dia a espera era certa rs