domingo, outubro 29, 2006

Cena de um momento feliz



Terra molhada
- sereno ao luar -
pés nus saltitam.

sábado, outubro 28, 2006

Fardo de espera insone


Das horas, desvencilhei-me
para depois contá-las...

O tempo ficou chato.
Quando virá o sol?

quarta-feira, outubro 25, 2006

Cicatriz


Caminho na praia.
Descalça.
Na areia, minhas marcas
levadas pelo mar
que chega em forma de onda.

Onda mansa e indefesa.
Onda que vem e desmancha
o castelo do menino...

Castelo dos sonhos
- sonhados por mim -

Onda que lentamente
apaga as marcas,
cravadas em meu peito.

(de uma Hannah adolescente, meados dos anos 90)

(...)


junto com a primavera, girassóis invadem minhas narinas,
um girassol lunar que se perdeu entre poemas ainda não escritos.

quarta-feira, outubro 18, 2006

Cadência


É sem pudor que me dispo.

- ofereço-me -

enquanto tu te entregas.

Manifesto contra a distância


Tua casa deveria ser
ao lado da minha.

Pulava eu
o muro
e no escuro,
tu serias minha.

Se tua casa minha vizinha fosse,
esquecia rede na varanda.

terça-feira, outubro 17, 2006

Montanha-russa de amor


Altos e baixos,
expressão de momentos nossos.

Céu
Inferno
e um arco-íris no meio.

- transições a cada curva -

Dias planos,
dias felizes...

um pouco mais de paz.

segunda-feira, outubro 16, 2006

domingo, outubro 15, 2006

sexta-feira, outubro 13, 2006

No ar...


Vento cantando,
águas de moinho.

Cata-vento,
cata!

- passarinho -

No céu,
uma pipa a subir.

(brincadeira de Sarah Amin)

quinta-feira, outubro 12, 2006

Caminhos pra te encontrar


Sol arde,
minha pele clara.

Vento a bailar
com meus cabelos.

Coração ligeiro
ao encontro do teu...

Pensamentos pela Encosta da Serra

quarta-feira, outubro 04, 2006

Esperança minha de todo dia


que a paixão
vença o cansaço

e o amor
não fique sozinho em mim.

segunda-feira, outubro 02, 2006

Pra falar da saudade de hoje...


Cheiro da noite traz cheiro
de nostalgia

eu, sozinha...

Brasil de Muitos



Sou do Brasil de muitos.

Meu país é de Buarque, de Meireles, de Veríssimo, de Drummond.
Meu país é com patativas, colibris, beija-flor.
Meu país é das Marias, dos Joãos, das Raimundas e Antônios.

... Meu país é poesia, ritmo, samba, chorinho e bossa-nova...

É país da enxada
suor no rosto
calos na mão.
Meu país é de sorrisos, de soluços,
de dunas e cachoeiras.

Meu país criança é da
experiência
sobrevivência
é fortaleza.

... Já esse país de mensalões é de poucos...

E no jogo de cintura, eu vejo meu Brasil

no acordar cedo,
na correria do trabalho,
no voltar cansado,
suado...

no contar moedas para o pão e cafezinho
e nas noites insones sem dinheiro.

Vejo esse Brasil de muitos

na cachaça com limão,
no espetinho de gato,
cerveja gelada
e samba improvisado.

é na morena que rebola
no banho de chuva com mar
e principalmente no gingar

...

Insisto
e vejo assim o meu país.

Senão, o desgosto é grande.

(Sarah Amin, 2005. Poesia publicada na antologia digital "Este é o meu País", do site www.avbl.com.br)